dd/mm/aaaa



Domingo no TCA

Decidido a abordar os efeitos causados pelo racismo na subjetividade de pessoas negras, o espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas” é a atração do projeto Domingo no TCA do mês de julho. Com dramaturgia de Aldri Anunciação, a montagem é a primeira da Cia. de Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBA) encenada por uma diretora negra, Onisajé (Fernanda Júlia), e tem elenco de 10 atores também negros. Seu importante conteúdo simbólico e a grande repercussão durante temporada em março e abril no Teatro Martim Gonçalves, em que foi assistida por 2,5 mil espectadores, são motivos de colocar a obra no palco mais importante da Bahia. A apresentação acontecerá no dia 14, às 11h, na Sala Principal do Teatro Castro Alves (TCA), com ingressos a R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia), vendidos apenas no dia do evento, a partir das 9h, com acesso imediato à plateia do teatro. Antes da sessão da peça, será exibido o filme “Dois de Julho – Caminhos da Liberdade”, com roteiro assinado por Mira Silva e Aldri Anunciação.

“O convite para ir ao TCA é a possibilidade de colocar esse espetáculo num equipamento público para uma plateia que, geralmente, não se vê representada em grandes palcos”, comemora Onisajé, cujo trabalho teve codireção de Licko Turle.

Perpassando três contextos temporais (1950, 2019 e 2888), a narrativa é baseada na obra homônima do pensador Frantz Fanon (1925-1960), além de trazer referências do livro “Os Condenados da Terra”. O texto é ficcional, mas se vale das teorias do psiquiatra e filósofo para costurar os personagens analisados pelo autor e investigar os sofrimentos psicológicos causados pelos processos coloniais em corpos negros.

O próprio Fanon surge em cena, numa recriação da defesa de doutorado do autor, desta vez, em 2019. A tese, que foi rejeitada pela banca examinadora no ano de 1950, é uma das obras mais importantes para a discussão sobre o racismo: “Pele Negra, Máscaras Brancas”. Além dele, o texto apresenta seis personagens-tese que compõem uma família vivendo no ano de 2888. Todos desenvolvem perspectivas ocidentalizadas de futuro para as pessoas negras, e estão enclausurados pela violação dos limites imposto pelo “Regime Único Mundial”.

Com trilha que mescla as referências eletrônicas à percussão afro-brasileira, a cena também materializa uma perspectiva coletiva: cenário, roupas e maquiagem misturam os conceitos de afrofuturismo e alta-costura. Os figurinos, por exemplo, mudam de cor na encenação.

Na ficha técnica, além do elenco formado por Iago Gonçalves, Igor Nascimento, Juliette Nascimento, Manu Moraes, Matheus Cardoso, Matheuzza Xavier, Rafaella Tuxá, Thallia Figueiredo, Victor Edvani e Wellington Lima, estão nomes como Luciano Salvador Bahia na direção musical; Edileusa Santos na coreografia e preparação corporal; Thiago Romero e Tina Melo na cenografia, figurino e maquiagem; e Nando Zâmbia na luz.

DOMINGO NO TCA – O Domingo no TCA é uma iniciativa do Teatro Castro Alves, Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), que se compromete em ampliar e diversificar o seu público frequentador, oferecendo-lhe acesso a espetáculos qualificados, das mais diversas linguagens artísticas. Desde 2007, com mais de 140 edições e cerca de 200 mil espectadores, o projeto engloba apresentações de música, teatro, dança, circo, cinema, de variados estilos e proposições estéticas, da Bahia, do Brasil e do mundo.

 

DOMINGO NO TCA

Espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas” com exibição do especial de “2 de Julho – Caminhos da Liberdade”

Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quando: 14 de julho de 2019 (domingo), 11h

Quanto*: R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia)

Vendas somente no dia, a partir de 9h, com acesso imediato do público.

Classificação indicativa: Livre

 

Data: 14/07/2019

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 4000-1139