dd/mm/aaaa



Elomar

No dia 27 de julho, a Trevo Produções e a Gabiroba Cultural trazem a Salvador o Concerto “Rancharia com Elomar e velhos amigos tropeiros”, na Sala Principal do Teatro Castro Alves. O encontro contará com a participação de João Omar e a presença de Fabio Paes, Carlos Pitta e Roze, estes velhos amigos tropeiros que fazem parte da geração das primeiras entradas da música do compositor Elomar Figueira Mello no mundo da gravação, do começo das cantorias.

Foi na década de 1970 que nasceu a amizade. Todos do Sertão, e pela força desta cultura, se identificaram e se aproximaram. Elomar do “Sertão de Dentro” e eles do “Sertão Beira-Mar”. Quando viram Elomar chegar com seu canto de vaqueiro, os aboios, a vida bucólica, ficaram impressionados e se ligaram muito com essa música estranha. Quando Elomar foi gravar o segundo álbum, “Na Quadrada das Águas Perdidas”, Fábio, Pitta e Roze acompanhavam as cantorias, sempre presentes. Foi nesta mesma época também o encontro com Xangai e Dercio Marques, formando um grupo de malungos, que seguiam em tropa no seu cantar. A amizade ficou consolidada.

O nome do concerto foi escolhido pelo próprio Elomar. Ele explica que o termo “Rancharia” é por uma questão de malungagem (amigos irmãos), de tropeirismo, de tropa; rancharia é o ponto de encontro de velhos amigos que andam na estrada do mundo, o mundo dos tropeiros. Os tropeiros são estes que se encontram, cruzam caminhos, passam um pelo outro, “no lote de boi”, mas têm um ponto certo, um pouso para trocar ideias, encontrar, contar as novidades, este lugar é chamado de rancharia, para a prosa da noite, enquanto se faz o arroz tropeiro, enquanto o feijão está no fogo. É na rancharia que esquentam fogo, aquecem a voz com uns goles de pinga, batem papo e conversam sobre a vida.

Para Pitta, o encontro com Elomar foi e é norteado de muita emoção. “Estar com Elomar foi estar ao lado de um grande mestre, um mestre da canção brasileira, um mestre da grande poesia do Brasil, e um mestre com um trabalho extremamente criativo, forte e voltado para as origens minhas, que são as origens do Sertão”. Pitta acredita que Elomar acima de tudo é um grandessíssimo cantador das coisas do sertão e com uma profundidade incrível. “Estar ao lado de Elomar para mim foi o mesmo sentimento que experimentei quando estive com Carlos Drummond de Andrade no Rio de Janeiro, um grande mestre da poesia brasileira, e Elomar para mim é como se ele fosse um Guimarães Rosa da canção”. Em homenagem ao malungo cantador, em 1979/80, quando gravou o disco “Águas do São Francisc”o, Pitta compôs em parceria com Fernando Lona a canção “A história da Princesa do Agreste, com o cantador do Elo ao Mar”. Rose também gravou esta canção. Sobre este reencontro na rancharia, em Salvador, Pitta conclui: “Elomar é uma pessoa admirável, uma pessoa que a gente quer sempre ouvir, quer sempre ver, quer sempre abraçar”.

Fábio Paes também homenageou o amigo, ao compor com Raimundo Monte Santo a canção “Saudade do Mar”, faixa do disco “Pensando na Alegria” (1984). É uma relação de caminhada em conjunto. Elomar faz uma participação em violão na música “Trovejo”, de Fabio Paes, do disco “Canudos e Cantos do Sertão” (1992). Elomar lembra que Fábio participou do especial da TV Cultura na Casa dos Carneiros, onde mora até hoje. Sobre Pitta, ele diz que é um malungo e tanto, além de um músico muito bom. Para Elomar, rever os velhos amigos tropeiros será uma alegria imensa, cantar com eles, no palco, na rancharia, no pouso da Bahia.

 

SERVIÇO

Elomar

Quando: 27 de julho (sexta-feira), 20h

Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quanto: 

R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), das filas A a P

R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia), das filas Q a Z6

R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia), das filas Z7 a Z11

Desconto sobre a inteira:

40% para assinantes do Clube Correio*

Classificação: Livre

 

VENDAS

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves, nos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido. Acesse página de vendas em http://site.ingressorapido.com.br/tca.

 

MEIA ENTRADA

A concessão da meia-entrada é assegurada em 40% do total dos ingressos disponíveis para o evento.

Estejam atentos! O Teatro Castro Alves cumpre a Lei Federal 12.933 de 29/12/2013, que determina que a comprovação do benefício de meia-entrada é obrigatória para aqueles que gozam deste direito. Estudantes devem apresentar a Carteira de Identificação Estudantil (CIE), não sendo aceitos outros documentos.

 

Data: 27/07/2018

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 3003-0595