dd/mm/aaaa



Futurível

No mês em que completa 39 anos, a Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) realiza uma versão digital de um dos seus projetos mais inovadores, o “Futurível”, projeto dedicado a explorar o repertório sinfônico de compositores contemporâneos. O concerto vai ao ar no dia 16 de setembro, às 20h, no canal da OSBA no YouTube (www.youtube.com/OSBAOrquestraSinfonicadaBahia). Com regência de Carlos Prazeres, maestro e diretor artístico da Sinfônica da Bahia, a orquestra interpreta “Caleidoscópio II”, do compositor baiano Lindembergue Cardoso (1939-1989) e “Sinfonia de câmara nº 1, Op. 9”, do austríaco Arnold Schoenberg (1874- 1951), compositor vanguardista e pai do dodecafonismo, técnica composicional que utiliza os 12 sons (das sete notas musicais e suas variantes bemol e sustenido) sem hierarquia entre eles.

Para Carlos Prazeres, regente titular e diretor artístico da OSBA, a orquestra deseja com o “Futurível” mostrar tanto a qualidade da produção musical do último século, quanto sua capacidade de nos tocar, já que a música de concerto dos  séculos XX e XXI traz referências do período em que vivemos, “uma trilha sonora habitual do nosso mundo”, diz. Segundo Prazeres, a música de concerto contemporânea acaba por ser pouco difundida, então o “Futurível” tem também este objetivo de aproximar a música de concerto feita nos dias atuais para o público já consumidor de música orquestral. Sobre a escolha do programa, Prazeres explica “Sempre trazemos um compositor internacional e um compositor baiano, pois a Bahia foi e é uma importante escola de composição, que iniciou com nomes como Hans-Joachim Koellreuter, Ernst Widmer, Walter Smetak, formando compositores como o próprio Lindembergue Cardoso, que tem obras premiadas em sua trajetória”, conclui.

Sobre o projeto Futurível: em uma constante busca por inovar e seguir levando a música de concerto em sua pluralidade para o público baiano, o projeto “Futurível”, que leva o nome da música de Gilberto Gil, traz um concerto  cuja maior característica é aproximar o público da música de concerto contemporânea, que por muitas vezes possuem estilo e sonoridade pouco comuns aos ouvidos da maioria das pessoas. Essas apresentações ganham o apoio de outras expressões artísticas tais como poesia, dança, além do uso de uma iluminação especial e de novas tecnologias, a exemplo de projeção mapeada.

A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), criada em 30 de setembro de 1982, é um corpo artístico do Teatro Castro Alves e que teve seu processo de publicização consolidado em abril de 2017. Desde então, a Associação Amigos do Teatro Castro Alves (ATCA) – entidade sem fins lucrativos qualificada como Organização Social (OS) – realiza a gestão da OSBA, que permanece como corpo artístico público, sendo mantida com recursos diretos do Governo do Estado da Bahia, através da sua Secretaria de Cultura (SecultBA).

Data: 16/09/2021

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 4000-1139