dd/mm/aaaa



Melanina Acentuada

Foto: Isto é um Negro [por Rodrigo Façanha]

Até não muito tempo atrás se dizia que não tínhamos muito autores negros, seja no teatro, seja no audiovisual. Com a inquietação de mostrar que esta não é uma realidade é que nasceu o Festival Dramaturgias da Melanina Acentuada, que está em sua quinta edição e oferecerá uma programação voltada para visibilizar e fortalecer a dramaturgia negra produzida no Brasil. Idealizado pelo ator, apresentador, dramaturgo e pesquisador Aldri Anunciação, o evento contará com leituras dramáticas, ateliês para produção escrita e reflexão sobre práticas e poéticas, espetáculos teatrais, compartilhamento e o lançamento da plataforma Melanina Digital, um catálogo virtual inédito que reúne a produção de dramaturgos negros contemporâneos.

O Festival Dramaturgias da Melanina Acentuada é uma realização da Melanina Acentuada Produções, com a produção da Henckes Produções e Giro Planejamento Cultural e foi contemplado pelo Edital Setorial de Teatro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia.

Na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, abrindo a programação do Festival, o elogiado espetáculo paulistano “Isto É Um Negro?”, das dramaturgas Mirella Façanha e Tarina Quelho, redesenhando mapas e as práticas que formatam o corpo negro, com apresentações nos dias 14 e 15 de setembro, às 20h. O consagrado “Namíbia, Não!”, premiado texto de Aldri Anunciação com direção de Lázaro Ramos, volta a cartaz no dia 16 de setembro, às 20h, também na Sala do Coro do TCA.

“Isto é Um Negro?” – Um estudo sobre práticas e temporalidades que incorporam e desincorporam a “carne mais barata do mercado”, numa luta contra formas de destituição da fala, produzindo outros corpos, redesenhando outros mapas na medida em que esses corpos se movem. Se a exceção produz lugares e, neles, antagonismos – olhe: isto não é seu nego. Isto é um negro?

“Namíbia, Não!” – Em 2016, o Governo Brasileiro decretou uma Medida Provisória obrigando que todos os de ‘melanina acentuada’ sejam capturados e enviados imediatamente à África, provocando, em pleno século XXI, o revés da diáspora vivida pelo povo africano do Brasil escravocrata. A medida é uma ação de reparação social aos danos causados pela União. Mas, para não incorrer no crime de “Invasão a Domicílio”, eles só podem ser capturados na rua. Assim, André e Antônio passam o dia trancados no apartamento, debatendo as questões sociais e econômicas da vida atual, seus anseios pessoais e as consequências de um iminente retorno à África-mãe.

 

SERVIÇO

TEATRO: FESTIVAL DE DRAMATURGIAS DA MELANINA ACENTUADA

“ISTO É UM NEGRO?” (DIAS 14 E 15)

“NAMÍBIA, NÃO!” (DIA 16)

Quando: 14, 15 e 16 de setembro (sexta a domingo), 20h

Onde: Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação indicativa: “Isto é um negro?” – 18 anos; “Namíbia, Não!” – 14 anos

 

VENDAS

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves, nos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido. Acesse página de vendas em http://site.ingressorapido.com.br/tca.

 

MEIA ENTRADA

A concessão da meia-entrada é assegurada em 40% do total dos ingressos disponíveis para o evento.

Estejam atentos! O Teatro Castro Alves cumpre a Lei Federal 12.933 de 29/12/2013, que determina que a comprovação do benefício de meia-entrada é obrigatória para aqueles que gozam deste direito. Estudantes devem apresentar a Carteira de Identificação Estudantil (CIE), não sendo aceitos outros documentos.

 

Data: 14/09/2018 a 16/09/2018

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 3003-0595