dd/mm/aaaa



Sísifo

A travessia talvez seja a grande protagonista de “Sísifo”. Inspirado no mito grego – do homem que carrega diariamente sua pedra morro acima para vê-la rolar ladeira abaixo e começar tudo de novo –, o texto conecta a mitologia ao caótico mundo hiperconectado e ao Brasil dos memes. Tal panorama aparece em 60 cenas curtas, assinadas por Gregorio Duvivier e Vinícius Calderoni neste trabalho que marca o início da parceria destes dois artistas multifacetados. Após temporadas de sucesso em São Paulo – onde teve lotação esgotada em todas as sessões –, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e por seis cidades em Portugal, a montagem chega a Salvador integrando 21ª Edição do projeto Catálogo Brasileiro de Teatro para apresentações dias 14 e 15 de março, no Teatro Castro Alves.

“Sísifo é o gif fundador da mitologia histórica, com essa ideia de eterno retorno. Percebemos como isso dava combustível para falar do momento histórico brasileiro, ao mesmo tempo em que falamos sobre travessia, sobre um trajeto que é preciso seguir. Não se chega a um novo Brasil sem passar por um Brasil distópico. Não se chega a um lugar sem passar por outro”, analisa Calderoni, autor das premiadas “Ãrrã”, “Elza” e “Os Arqueólogos”, que divide o texto com Duvivier e assina a direção do monólogo.

Em cena, o ator repete o mesmo movimento: caminha de um ponto a outro do palco. A cada início de uma nova cena, ele retorna ao ponto inicial, como em um gif, formato de imagem altamente difundido no universo digital. A investigação cênica deste formato deu origem ao trabalho, que incorporou outras características das novas formas de comunicação.

Se os memes e gifs são capazes de resumir uma situação às vezes complexa em apenas uma imagem, a ideia em “Sísifo” é de poder falar sobre temas bem diversos em uma única cena, ou em uma das travessias que Gregorio faz pela rampa que ocupa o palco, elemento central da cenografia de André Cortez. Desta forma, as cenas apresentam um vasto panorama do caótico mundo contemporâneo, com todo o seu excesso de informação e tecnologia.

Entre os muitos temas pelos quais o texto passa, entram em pauta os influenciadores digitais, alguns absurdos nas transmissões ao vivo pelas redes sociais, o complexo momento político brasileiro e até mesmo as desilusões pessoais em um mundo hiperconectado.

A estreia selou o encontro entre dois representantes de uma geração que cresceu no ambiente virtual e cujo talento artístico se manifesta nas mais diversas frentes. Cria do Tablado, a tradicional escola teatral carioca, Gregório Duvivier despontou para o sucesso em espetáculos de improvisação (o precursor “Z.E. – Zenas Emprovisadas”) e seguiu carreira como ator e também escritor de poesia, crônica e roteiros para televisão, cinema e para os vídeos do fenômeno Porta dos Fundos, canal do qual é um dos fundadores.

Do outro lado da ponte-aérea, Vinícius Calderoni dava seus passos no teatro e na música. Após lançar seu primeiro disco em 2007, ele passou a integrar o grupo 5 a Seco, que atualmente roda o país em uma turnê comemorativa por uma década de trabalho. Em 2010, ele fundou o Empório de Teatro Sortido, companhia de teatro quem mantém com Rafael Gomes. O saldo positivo da empreitada é imenso e inclui o Prêmio Shell de Melhor Autor por “Ãrrã” (2015), o APCA por “Os Arqueólogos” (2016) e “Elza” (2018) e o Reverência por “Elza” (2018).

As afinidades artísticas os uniram no final de 2018 para a criação de um trabalho inédito. Com o mote inicial do projeto decidido, eles iniciaram o processo de produção do texto em conjunto.

Alguns colaboradores do Empório de Teatro Sortido estão em “Sísifo”, como o já mencionado André Cortez, o iluminador Wagner Antônio e Fabrício Licursi na direção de movimento. Fause Haten assina o figurino e Mariá Portugal ficou com a direção musical. A produção é da Sarau Agência, de Andréa Alves, que idealizou “Elza”, com texto de Calderoni, além de “Suassuna – O Auto do Reino do Sol” e “Macunaíma”, êxitos da companhia Barca dos Corações Partidos.

“Sísifo” integra a 21ª temporada do projeto Catálogo Brasileiro de Teatro, uma realização da Fred Soares Produções através da Lei de Incentivo a Cultura do Ministério da Cidadania e Governo Federal com apoio do Shopping da Bahia. O projeto além de espetáculos promove a formação de plateia e estimula a cultura das artes cênicas em salvador, com workshops e debates que promovem maior acessibilidade, reflexão e intercâmbio para a cidade, sendo considerando o maior projeto de circulação teatral do país.

Sinopse resumida: Não se chega a um lugar sem passar por outro. Com este ponto de partida, Gregorio Duvivier protagoniza 60 cenas curtas que com humor compõem um vasto panorama do mundo contemporâneo.

 

SERVIÇO

Sísifo

Quando:

14 de março de 2020 (sábado), 21h

15 de março de 2020 (domingo), 20h

É terminantemente proibida entrada após início do espetáculo.

Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quanto: 

R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia), das filas A a P

R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia), das filas Q a Z

R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), das filas Z1 a Z7

R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia), das filas Z8 a Z11

Desconto sobre a inteira:

40% para assinantes A Tarde+

40% para assinantes Clube Correio*

40% para clientes Hammer

40% para clientes Shopping da Bahia

Classificação indicativa: 16 anos

 

VENDAS

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro Castro Alves, nos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido. Acesse página de vendas em http://site.ingressorapido.com.br/tca.

 

MEIA ENTRADA

A concessão da meia-entrada é assegurada em 40% do total dos ingressos disponíveis para o evento.

Estejam atentos! O Teatro Castro Alves cumpre a Lei Federal 12.933 de 29/12/2013, que determina que a comprovação do benefício de meia-entrada é obrigatória para aqueles que gozam deste direito. Estudantes devem apresentar a Carteira de Identificação Estudantil (CIE), não sendo aceitos outros documentos.

Data: 14/03/2020 a 15/03/2020

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 4000-1139