dd/mm/aaaa



Festival EU SOU A CONCHA

Totalmente requalificado pelo Governo do Estado e com novas estruturas, a nova Concha Acústica do Teatro Castro Alves será reaberta ao público em grande estilo nos dias 13, 14 e 15 de maio. O Festival Eu Sou a Concha, com direção artística de Elísio Lopes Jr., terá mais de 25 atrações e vai reunir grandes nomes da música brasileira, contemplando diversas linguagens artísticas nos três dias de celebração.

Dando início às comemorações, no dia 13 de maio (sexta-feira), o público confere o show de Maria Bethânia num encontro mais do que especial com a cantora Margareth Menezes, recordista de apresentações na Concha Acústica. Completa o primeiro dia do evento o espetáculo cênico-musical Kindembu, que traz no palco a linguagem e a relevância do Afoxé Filhos de Gandhy, Cortejo Afro, Ilê Aiyê, Malê Debalê e Muzenza em diálogo criativo com músicos da nova geração, além da participação do grupo Olodum.

No dia 14 de maio (sábado), Carlinhos Brown convida Lazzo Matumbi e, em seguida, o grupo BaianaSystem propõe um diálogo musical com o cantor Ney Matogrosso. E, por fim, no dia 15 de maio (domingo), um encontro histórico dos Novos Baianos: Baby do Brasil, Moraes Moreira, Pepeu Gomes, Luiz Galvão e Paulinho Boca de Cantor, que voltam a se reunir para um show baseado no repertório do emblemático disco “Acabou Chorare”. Nos três dias do festival, as apresentações musicais serão entremeadas por intervenções cênicas que devem envolver a área da Concha Acústica como um todo, misturando performances de dança, efeitos cênicos, música e audiovisual.

O acesso ao evento do dia 13 de maio - data da entrega da nova Concha - será apenas para convidados, com 90% dos ingressos distribuídos para instituições como as Obras Sociais Irmã Dulce, Hospital Martagão Gesteira, Hospital Aristides Maltez, Projeto Axé, NEOJIBA, Ilê Aiyê e Olodum, entre outras entidades. Jovens das Bases Comunitárias de Segurança da capital baiana e operários da obra da Concha também serão contempladas com a ação. O objetivo é priorizar a participação de um público especial, que não tem condições de frequentar a maioria dos equipamentos culturais de Salvador.

Já para os shows dos dias 14 e 15 de maio (sábado e domingo), os ingressos custarão R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), com vendas iniciadas no próximo dia 30 de abril, sábado, às 9h, simultaneamente em todos os canais de vendas do TCA. Cada pessoa – por CPF - terá direito a adquirir apenas um par de ingressos para o dia 14 e um par para o dia 15.

Projeto Novo TCA

A Concha Acústica do Teatro Castro Alves está recebendo os ajustes finais para a sua reabertura e ela marca a conclusão da 1ª fase do projeto NOVO TCA, que prevê a ampliação e a requalificação do Complexo Teatro Castro Alves, equipamento cultural público preservado e mantido pela gestão estadual.  Para as obras desta primeira etapa, cerca de R$ 80 milhões foram investidos pelo Governo do Estado da Bahia e um aporte de R$ 10 milhões do Ministério da Cultura (Minc).

A entrega do espaço nesses novos moldes possibilitará não só aos espectadores, mas também aos artistas, uma experiência diferenciada. “A requalificação do espaço valoriza as produções e o próprio público, já que o projeto confere mais conforto, segurança e acessibilidade para todos. E mesmo com todas as intervenções realizada, é muito importante mencionar que a alma e o espírito da Concha foram preservados. A arquibancada e o ‘diamante’, como é chamada a estrutura do palco, são estruturas originais dos anos 50 - tombadas nacionalmente como arquitetura moderna - e foram conservadas. Mas o entorno mudou muito, cresceu bastante, pois um dos maiores investimentos que fizemos foi em tecnologia”, destaca Moacyr Gramacho, atual diretor do complexo cultural. 

Requalificação e Ampliação

Na reforma, além de toda modernização, características originais foram mantidas, como o formato semi-arena ao ar livre.  As arquibancadas foram recuperadas dando mais conforto ao público — no total, o espaço tem capacidade para abrigar 5 mil pessoas —, camarotes e camarins foram construídos, e uma nova cobertura foi desenvolvida, a qual ganhou o nome de passarela técnica, por seu formato plano e de fácil acesso. Novas instalações também foram construídas: uma casa de máquinas e um estacionamento de cinco pavimentos capaz de abrigar até 300 carros.

Vencedor de um concurso público nacional realizado em 2009/2010, o Estúdio América/SP atuou com foco na preservação dos valores arquitetônicos originais do Teatro. Por este motivo, todo o projeto contemplou dois tempos — o antigo e o novo —, respaldando o espaço como um importante patrimônio nacional que, apesar de estar beirando os 50 anos de existência (a serem celebrados em 2017), preserva sua aura contemporânea e encanta pela sua arquitetura ousada e destacada nacional e internacionalmente. 

Nas etapas seguintes, o foco do NOVO TCA será a requalificação do prédio já existente: (Sala Principal, Sala do Coro, Espaços Administrativos, Salas de Ensaio, Restaurante e etc.); requalificação da Sala do Coro e seus acessos, proporcionando mais versatilidade cênica; requalificação Acústica e Técnica da Sala Principal e dos espaços anexos (foyer, jardim suspenso, restaurante e bilheteria); Construção e consolidação do Centro de Referência em Engenharia do Espetáculo – CREE: (Laboratório Cenográfico, Biblioteca especializada, Sala para cursos e palestras, adequação e ampliação das instalações de serralheria, carpintaria, canteiro, costura e adereços e acervo de figurino); Além da construção de uma Sala de Cinema (150 lugares), entre outras intervenções no complexo.

História do TCA e da Concha Acústica

O Teatro Castro Alves, incluindo a Concha Acústica de Salvador, foram tombados pelo IPHAN em 2014, sendo esta uma enorme conquista para o povo baiano, o  que reforça a importância dos espaços não apenas para o Estado, mas também para o País. Embora o teatro tenha sido inaugurado em 1967, a história da Concha Acústica começou em julho de 1958, quando este grande ‘anfiteatro a céu aberto’ começou a realizar os seus primeiros eventos. Enquanto isto, a Sala Principal destruída pelo fogo há cinco dias da inauguração, passou por um longo período de reconstrução de 1958 a 1967, ano em que ocorreu a inauguração definitiva do “Complexo Teatro Castro Alves”, no dia 04 de março.

Os shows da Concha começam a se intensificar a partir de 1967.  Já na década de 70, a Concha se consolidou como o grande espaço cultural alternativo de Salvador, com shows que marcaram a história da Música Popular Brasileira. Além de ser um espaço para a música popular brasileira, a Concha, com plateia para cinco mil espectadores, também recebe espetáculos de teatro, ópera, concertos sinfônicos e circo.

Inúmeros artistas se apresentaram na Concha Acústica de Salvador, como: João Gilberto, na reinauguração da Concha, em 1988, Novos Baianos, Luís Gonzaga, Wanderléa, Ney Matogrosso, Dominguinhos, Ivan Lins, Guilherme Arantes, Lulu Santos, Gonzaguinha, Milton Nascimento, Alceu Valença, Djavan, Fábio Júnior, Elba Ramalho, Osvaldo Montenegro, Zizi Possi, Leila Pinheiro, Cássia Eller, Luís Melodia, Adriana Calcanhoto, Emílio Santiago, Martinho da Vila, Nana Caymmi, Lenine, Sandra de Sá, Beth Carvalho, Marisa Monte, Ana Carolina, Arnaldo Antunes, Rita Lee, Toquinho, Jaques Morelenbaum, Ângela Maria e Cauby Peixoto, Vanessa da Mata, Seu Jorge, Marcelo Camelo, Maria Rita, Roberto Carlos, Criolo.

Os grandes artistas baianos fizeram e fazem shows na Concha, como João Gilberto, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Tom Zé, Novos Baianos, Armandinho, Carlinhos Brown, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Saulo e Margareth Menezes, recordista em apresentações no espaço — 40 performances.

Bandas e conjuntos musicais também possuem lugar de destaque na Concha Acústica: Titãs, Paralamas do Sucesso, Cidade Negra, Nação Zumbi, Pato Fu, Sepultura, IRA, Angra, Skank, Los Hermanos e O Rappa passaram pelo espaço.

Entre os grandes concertos já apresentados estão os da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), sob a regência do maestro John Neschling; do NEOJIBA (Núcleo de Orquestras Juvenis da Bahia), sob regência de Ricardo Castro; e da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) com diversos regentes convidados. Das atrações internacionais, destacam-se o cantor Manu Chao, o Circo Nacional da China e o grupo japonês Kodo, com seus tambores gigantes. 

SERVIÇO:

13/05/2016 (SEXTA-FEIRA) – 18 horas

Abertura: Micro-espetáculos com BTCA e OSBA

Apresentações:

- Maria Bethânia com participação especial de Margareth Menezes

- Espetáculo cênico-musical Kindembu - Afoxé Filhos de Gandhy convida Pedro Pondé, Cortejo Afro convida Márcia Castro, Ilê Aiyê convida Dão, Malê Debalê convida Larissa Luz, Muzenza convida Ellen Oléria, além da participação do Olodum. 

Evento para convidados (instituições, artistas, operários da obra da Concha)

 

14/05/2016 (SÁBADO) – 18 horas

Abertura: Micro-espetáculos com BTCA e OSBA

Apresentações:

- Carlinhos Brown com participação especial de Lazzo

- BaianaSystem com participação especial de Ney Matogrosso 

Ingressos: R$ 60,00 inteira - R$ 30,00 meia (ESGOTADOS)

 

15/05/2016 (DOMINGO) – 19 horas

Abertura: Micro-espetáculos com BTCA e OSBA

Apresentações: Show de Novos Baianos – “Acabou Chorare” 

Ingressos: R$ 60,00 inteira - R$ 30,00 meia (ESGOTADOS)

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 4000-1139