dd/mm/aaaa



Sala do Coro do TCA volta à cena

Nesta quinta-feira, 5 de julho, às 18h, a Nova Sala do Coro do Teatro Castro Alves (TCA) vai ter suas portas abertas, exatamente 40 anos após sua inauguração, numa visita guiada de reabertura conduzida pelo governador Rui Costa. O ato apresenta os resultados da reforma completa do equipamento, a segunda entrega do projeto Novo TCA, depois da Nova Concha Acústica. Espaço essencial para a difusão das artes da Bahia, em especial para produções experimentais, de pequeno porte, independentes e emergentes, a Sala do Coro volta à cena com uma nova configuração espacial para o palco e a plateia, tendo a flexibilidade de formatos como fundamento de sua requalificação.

No dia seguinte, sexta-feira, 6 de julho, às 19h, o primeiro evento da Nova Sala do Coro, para convidados, será marcado pela peça musical infanto-juvenil “Viagens da caixa mágica”, com Lázaro Ramos, seguida de música com DJ El Cabong, além de exposição fotográfica da história do projeto TCA.Núcleo, demonstrando as diversas possibilidades de ocupação do espaço.

“Vamos começar com a Sala do Coro montada com uma formatação tradicional, com palco e arquibancada para plateia. Em seguida, a caixa preta será totalmente desocupada, para acolher o DJ e o público na pista. O evento vai mostrar na prática o que a nossa nova Sala do Coro pode proporcionar”, apresenta Moacyr Gramacho, diretor geral do TCA, em referência ao fato de que múltiplos arranjos serão possíveis com a instalação de uma moderna arquibancada retrátil, que oferece versatilidade cênica para criadores e novas experiências para espectadores, adaptando ao tipo que se desejar – palco italiano, arena, semiarena, cena aberta etc. “A Sala do Coro se integra então a padrões internacionais e contemporâneos de espaço cênico e cultural, para voltar a ser impulsionadora da pujante produção cênica baiana, pronta para contar novas histórias de vanguarda, criatividade, resistência e consistência artística”, completa Gramacho.

Intervenções técnicas e de estrutura também incluem a reformulação do foyer, modernização dos equipamentos de sonorização, qualificação de acústica e cenotecnia, renovação do sistema de ar-condicionado, reforma dos sanitários e camarins.

Vinculado à Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), o TCA teve a reforma da Sala do Coro fiscalizada conjuntamente entre SecultBA e Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder). O investimento total foi de R$ 7 milhões.

PROGRAMAÇÃO DE RETOMADA – Depois da sessão especial de sexta-feira, o espetáculo-show “Viagens da caixa mágica”, de Lázaro Ramos, terá apresentações públicas no sábado, dia 7 de julho, às 14h e às 16h. A montagem é uma compilação de 10 músicas criadas por Lázaro, em parceria com Jarbas Bittencourt, a partir de seus dois livros infantis – “Caderno Sem Rimas da Maria” e “Caderno de Rimas do João”. “A escolha de fazer um espetáculo para o público infantil foi para dar boas-vindas à Nova Sala do Coro do TCA e por acreditarmos que o público infantil é dono dos espaços teatrais”, explica Lázaro, ciente de que este segmento é o único capaz de reunir toda a família.

Para tanto, ele reuniu um time baiano para prestar uma homenagem à sua cidade natal: a direção é de Elísio Lopes Jr. e a direção musical do próprio Jarbas Bittencourt. Ao lado de Lázaro e Jarbas no palco, está a atriz e cantora Heloísa Jorge. “Quis voltar para minha terra com uma equipe da Bahia para tratar com leveza dos questionamentos do universo infantil, o que é sempre algo transformador”, explica Lázaro, que interage somente com conterrâneos: além da banda, com cinco músicos locais, o infantil tem cenografia e adereços de Cinthia Rosa, participações de Júlia Dias, Banda Erê, Coro Infantil do Neojiba e apoio do Centro Técnico do TCA, que, comemorando seus 25 anos, executou a cenografia pensada por Cinthia para a estreia.

Na sexta e sábado seguintes, dias 13 e 14, às 20h, haverá sessões de “Os Pássaros de Copacabana”, monólogo de Marcelo Praddo e direção de Gil Vicente Tavares, ambos premiados pela atuação neste trabalho no Prêmio Braskem de Teatro 2018. A peça, especialmente criada para comemorar os 30 anos de carreira de Praddo, se desenrola a partir de canções de Ary Barroso, contando a história de uma travesti, às vésperas do Golpe de 1964, tentando fazer um espetáculo em homenagem ao compositor, por encomenda de seu amante militar. Em cena, Marcelo interpreta clássicos e canções menos conhecidas de Ary, intercalando com depoimentos e lembranças da sua vida. Assim, vai revelando sentimentos dessa travesti em meio ao período conturbado do Brasil, e a sua luta diária contra o preconceito e a marginalização. As canções são executadas ao vivo, com o multi-instrumentista Elinaldo Nascimento, materializando os arranjos também de Jarbas Bitencourt. Com iluminação de Eduardo Tudella, cenário e figurinos de Euro Pires, a equipe conta ainda com a direção de movimento de Bárbara Barbará e a maquiagem de Anna Oliveira.

Ingressos para os dois espetáculos serão vendidos por R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia), a partir do dia 5 de julho, na bilheteria do Teatro Castro Alves, nos SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br).

Já no dia 29 de julho, o público será surpreendido por uma performance audiovisual com projeção de videomapping no paredão do TCA, feito pelo VJ Dexter, visível na passarela de acesso à Concha Acústica e à própria Sala do Coro. As pessoas circulantes poderão conhecer a Nova Sala do Coro, com possibilidade de fazer uma visita guiada por dentro do espaço.

Em toda a temporada, estará montada a exposição fotográfica do TCA.Núcleo, exibindo as montagens realizadas por meio deste projeto historicamente vinculado à Sala do Coro.

CONVOCATÓRIA DE OCUPAÇÃO – Para a ocupação da Nova Sala do Coro do TCA, será lançado um chamamento público, sistematizando normas, critérios e prazos, para selecionar, de forma democrática e transparente, uma programação diversa para realização entre setembro e dezembro de 2018, inicialmente. Poderão participar espetáculos de teatro, dança, circo e música, inéditos e de repertório, além de outras variadas atividades de todas as linguagens artísticas, garantindo opções artístico-culturais para o público no mínimo cinco dias da semana. Pessoas jurídicas de natureza cultural, sediadas na Bahia, poderão fazer candidaturas.

40 ANOS DA SALA DO CORO – A Sala do Coro do Teatro Castro Alves foi inaugurada em 5 de julho de 1978, com a apresentação do espetáculo teatral “Choque”, do diretor Luciano Diniz. Construída num espaço que antes era destinado apenas a ensaios, foi configurada como uma sala de teatro de palco no formato arena e espaço para plateia de 150 lugares. No âmbito de sua criação, considerava-se uma inovação, até mesmo uma ousadia, uma sala de teatro com o perfil de uma plateia reduzida. Hoje, é fato conhecido que espaços menores proporcionam uma experiência mais intensa tanto para quem assiste como para quem está em cena, assim como é primordial para fomentar a formação, a qualificação, a cadeia produtiva e a experimentação das artes locais.

Muito prestigiada pela classe artística baiana, a casa deu impulso a importantes nomes da sua dramaturgia, tais como Luiz Marfuz, Paulo Dourado, Gideon Rosa, Frank Menezes, Hilton Cobra e Lelo Filho. Em seu palco, já passaram artistas consagrados, como Fernanda Montenegro, Paulo Autran, Lia Robatto, Denise Stoklos e Gerald Thomas, além de ter sido a casa das montagens do TCA.Núcleo, projeto criado em 1995, e do Curso Livre de Teatro (1979-1983).

Alinhada com as diretrizes do Estado e em consonância com o propósito pelo qual foi criada, a Sala do Coro vem desenvolvendo historicamente uma política de fomento e divulgação das artes cênicas da Bahia, o que reflete diretamente em sua programação. Nos últimos cinco anos de seu funcionamento, atuava com uma média de 177 apresentações anuais e com 75% de espetáculos de teatro, tendo atingido, entre os anos de 2009 e 2013, um público superior a 82 mil espectadores. Mais de 80% da ocupação é de produções da Bahia.

NOVO TCA – Nos últimos anos, mais que um teatro, o TCA consolidou-se como um centro cultural vivo e dinâmico. Além do trabalho com os programas, projetos e ações, bem como do atendimento de pautas para produções variadas, um dos maiores desafios assumidos pela atual gestão está na transformação do TCA em um efetivo complexo cultural, o que deu origem ao projeto do Novo TCA. Em novembro de 2009, foi lançado o Concurso Público Nacional de Anteprojetos Arquitetônicos para Requalificação e Ampliação do Complexo TCA. O objetivo foi identificar a melhor proposta para requalificação de todos os espaços do TCA, tendo o Estúdio América, de São Paulo, como escritório vencedor. O Novo TCA é um projeto grandioso que potencializa a utilização do espaço físico do teatro e mantém os valores estéticos e históricos da estrutura existente, uma vez que esta se constitui num valioso bem cultural, patrimônio nacional tombado pelo IPHAN em 2014. A reforma e ampliação se pautam em três pilares: acessibilidade, democratização e formação em cultura. A primeira etapa de obras do projeto Novo TCA foi entregue em maio de 2016, com a requalificação da Concha Acústica.

Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho,s/n, Campo Grande, CEP 40080-121 - Salvador - Bahia - Brasil Telefone: (71) 4000-1139